Metodologia de construção da matriz analítica: apresentação da primeira versão

fevereiro 21, 2020 06:09

A primeira atividade realizada no âmbito da Meta 2 diz respeito ao desenho metodológico para a construção da matriz analítica que subsidia a avaliação dos módulos educacionais autoinstrucionais na área da saúde. Com o intuito de melhorar o acesso tecnológico tanto por parte dos professores, quanto dos aprendizes, a construção desta matriz nasce da necessidade de elencar critérios que permitam identificar aspectos ergonômicos e pedagógicos, que se apresentam como relevantes para o processo formativo e o uso das tecnologias mediadoras do ensino online. 

Embora o campo das Tecnologias de Informação e Comunicação viabilize uma nova cultura de aprendizagem, com novas maneiras de construir conhecimento, a operacionalização das ferramentas disponíveis exige algum grau de letramento digital. O que implica dizer que exigem requisitos elementares para que os sujeitos estejam aptos a acessar, buscar e usar os aparatos para a realização das atividades. Contudo, também é necessário um esforço por parte das instituições para que o uso de tecnologias seja facilitado e não se apresente como fator de entrave no processo pedagógico. Neste sentido, a ergonomia surge como tema-chave para a construção desta matriz, uma vez que baseada na interação humano-computador, busca harmonizar o acesso às informações disponíveis na plataforma web, permitindo ao usuário maior foco no conteúdo e facilidade na utilização.

Assim, o passo inicial para a criação da matriz foi dado pela definição de cinco perguntas de pesquisa e objetivos específicos associados a cada uma. Tais perguntas correspondem aos domínios da saúde, educação e ergonomia:

Q1: Quais são as contribuições existentes na literatura sobre a avaliação ergonômica-pedagógica relacionadas à Educação a Distância?

Objetivo específico: apresentar as principais avaliações ergonômica-pedagógicas existentes aplicadas para contextos de educação a distância.


Q2: Quais são os elementos importantes que constituem uma avaliação de material do ponto de vista da Ergonomia e da Usabilidade? 

Objetivo específico: destacar os principais critérios ergonômicos


Q3: Quais são os elementos importantes que constituem uma avaliação de material do ponto de vista da Educação a Distância e do Design Instrucional?

Objetivo específico: Identificar as características que definem quando uma Educação a Distância se baseando nas teorias de design instrucional


Q4: Quais são os elementos importantes que constituem uma avaliação de material do ponto de vista do ensino-aprendizagem da Saúde?

Objetivo específico: identificar as competências para alcançar quando se trata de Educação da Saúde.


Q5: Como os resultados das perguntas anteriores podem avaliar os módulos educacionais na área da Saúde de um ponto de visto ergonômico-pedagógico?

Objetivo específico: Sistematização de um sistema de avaliação ergonômico-pedagógico.

A metodologia usada para a construção da matriz de avaliação de módulos educacionais foi baseada na anasíntese, uma metodologia de referência para construir um quadro teórico em educação, na perspectiva de elaboração de um modelo, referencial ou sistema. Fundada num processo metódico de relação constante entre análise e síntese, é dividida em quatro etapas: identificação, análise, síntese e validação.

A identificação corresponde à situação de partida da pesquisa, com a construção do problema da investigação. Em referência ao contexto de avaliação ergonômico-pedagógico de módulos educacionais autoinstrucionais de Ambientes Virtuais de Aprendizagem na área da Saúde, observou-se a ausência de pesquisa específica. Por essa razão, decidiu-se identificar os elementos teóricos referentes às áreas envolvidas, ou seja, a educação, a saúde e a ergonomia.

A fase seguinte corresponde à análise dos dados teóricos a fim de construir a matriz. Na área da ergonomia foram pesquisados elementos dentro da usabilidade, na educação, teve foco a Educação a Distância e o design instrucional, e na área da saúde, a educação permanente em saúde, assim como o ensino-aprendizagem em saúde.

A terceira etapa propõe a síntese das informações da etapa anterior. Seu objetivo é identificar os elementos relevantes e coerentes bem como juntar os diferentes elementos para produzir o protótipo da matriz.

Enfim, a fase de validação é a parte de teste da etapa anterior aplicada a um caso específico. Nesta pesquisa, foi adotado o estudo do caso de 10 módulos educacionais ofertados pelo Ambiente Virtual de Aprendizagem do SUS, o AVASUS. Vale ressaltar, contudo, que a fase de validação não é a fase final do processo. A anasíntese propõe um processo de retroação onde todas as fases são colocadas numa fase de melhoria do referencial construído. Desta forma, os critérios elencados poderão, posteriormente, ser qualificados com base nos resultados do trabalho de campo, agregando elementos apontados pelos profissionais de saúde responsáveis pela realização de atividades formativas à distância. 

Todo o processo de elaboração da primeira versão da matriz foi realizado ao longo de um período de cinco meses que compreendeu assim: a definição da problemática, a realização de reuniões com o Ministério da Saúde para definição das perguntas e objetivos específicos, o desenho metodológico e a construção teórica da matriz.

Veja no próximo post relacionado ao assunto “Construção Matriz Analítica” os resultados em torno da primeira pergunta.

“Este é um texto de divulgação científica que adota uma estética jornalística. Foi editado e produzido por Juliana Vargas com o objetivo de divulgar uma pesquisa acadêmica realizada por Stéphanie Marie Dominique Bertrand Thomas Cor Coomans de Brachene, no âmbito do Projeto Avaliação e prospecção de tecnologias web para a Educação Permanente em Saúde.”


Mar Aberto fevereiro 21, 2020 06:09




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code